jan 292010
 

(publicado originalmente na edição “3″, em maio de 2009, primeira quinzena)

Inconfidência Ribeirão – O que é trabalho para você?

Tales, 15 anos, trabalha em um estúdio de fotos – “É importante porque você tem seu dinheiro, não precisa depender de mãe, né”.

Rêmulo Ferreira, vendedor ambulante - “Ah eu penso que trabalho pro homem é uma glória né, porque o homem sem trabalho não é nada”.

João Gabriel, moto taxista – “É fundamental para todas as pessoas, necessitamos dele para cobrir as partes financeiras do dia a dia. Depois de trabalhar 45 anos de carteira assinada, agora como moto taxista, sou meu próprio patrão”.

Alexandro, gerente de loja – “Trabalho pra mim é de onde eu tiro meu sustento honestamente e um meio pra alcançar nossos objetivos”.

Cristiane, vendedora em uma loja de calçados – “Ahh o trabalho pra mim é tudo né, porque é através dele que a gente conquista nossos objetivos”.

Rosa, gari – “Eu acho que o trabalho é uma grande honra e a gente tem que honrar muito ele”.

Rafaela, comerciante – “É algo que enriquece a mente, que melhora nossa forma de convívio social. Nós aprendemos muito no dia a dia convivendo com as pessoas”.

Norival, aposentado – “Trabalho é tudo. Mesmo depois de nos pagarem mal ao final da vida na aposentadoria”.

Alonso, autônomo –
“Trabalho é tudo né cara. Se a gente não tivesse trabalho iríamos ficar muito parados. De repente o trabalho serve até pra deixar as pessoas mais saudáveis”.

Onécio, deficiente visual, aposentado, vendedor de bilhetes lotéricos –
“O trabalho é sensacional porque, se eu não trabalhar, como eu vou ganhar meu pão? Todo mundo deveria ter essa idéia de trabalhar”.

João Vitor, taxista - “Ahh rapaz, você ocupa a mente. Se a pessoa não trabalha, já começa a ficar com problemas de saúde. A mente tem que sempre ta ocupada com alguma coisa”.

Rogério, funcionário de Biblioteca Pública - “O trabalho em si é pra você ter as condições de ter as coisas e o meu aqui no caso é porque eu gosto”.

Lucimar, proprietária de loja - “Trabalho é tudo né moço, muito importante pra parte financeira”.

Inconfidência Ribeirão – Qual é importância da carteira de trabalho?

Alexandro – “Tem a garantia se caso você ficar doente, tem o INSS. Te dá garantia, uma segurança maior caso venha a acontecer alguma coisa, direito a férias, a fundo de garantia, essas coisas”.

Cristiane – “A carteira assinada pra mim é tudo porque é uma prova objetiva daquilo concreto que é o trabalho, é uma segurança”.

Rosa –
“A importância da carteira de trabalho? Acho muito bom, ser registrada, ter nossos direitos”.

Rogério - “Só pra garantias. FGTS,  aposentadoria…”

Rêmulo –
“Depois que eles formaram as leis dos direitos trabalhistas…fundo de garantia, fico melhor né”.

Inconfidência Ribeirão – O Senhor tem carteira assinada?

Rêmulo - “Hoje não, faz quinze anos que eu não tenho. Mas já tenho quatro carteiras e meia cheia”.

Inconfidência Ribeirão – Você aceitaria trocar os benefícios da carteira de trabalho assinada por receber integralmente o salário sem os descontos de taxas e impostos (algo que aumentaria em quase 50% o salário)?

Tales – “Eu não aceitaria. No final do ano você tem seu décimo terceiro, se trabalhar sem carteira assinada não vai ter, daí ganha sempre a mesma coisa”.

Renato, companheiro de trabalho de Tales - “Ah, sem carteira assinada? Eu acho que eu aceitaria. Tudo tem sua vantagem e sua desvantagem”.

Alexandro – “Eu prefiro trabalhar com a carteira assinada, pensando futuramente numa aposentadoria porque o tempo vai passando e aqueles que não trabalharam com a carteira assinada sofrem quando chega a época de aposentar. Hoje, os impostos cobrados no Brasil eu acho que são um dos maiores cobrados no mundo, porém, acho que compensa você pagar os impostos e ter a carteira assinada.”

Rêmulo – “Hoje, na minha idade, 62 anos, eu prefiro a situação em que  estou, eu ganho muito mais. Se eu fosse trabalhar em obras, essas coisas, eu não tiraria mais que 800 paus por mês, então, pra mim, não é nenhuma vantagem”.

Cristiane -
“Ah eu prefiro com a carteira assinada sim, porque com a carteira assinada, caso você fique doente você tem uma segurança, sem carteira assinada não tem”.

Rosa - “Ah eu prefiro ser registrada”.

Rogério - “Não, não… porque depois lá na frente você vai ter problemas né. Então se você vai ter problemas não adianta nada. Se você não tiver carteira de trabalho você não prova que trabalhou”.

João Vitor - “Eu preferia a época em que eu trabalhava com a carteira assinada porque tinha mais segurança. Hoje não tenho mais os benefícios. Preferia aquela época que agora. Agora eu sou aposentado e preciso trabalhar como taxista pra poder complementar a renda”.

Onécio - “Eu não sei, porque eu já sou aposentado”.

Inconfidência Ribeirão – O que o senhor acha da aposentadoria no Brasil?

Onécio - “É uma porcaria, uma vergonha essa aposentadoria do Brasileiro. Quando chega a hora de aposentar é um lengalenga. É uma mixaria que não dá pra nada”.

Inconfidência Ribeirão – O que você acha da tradição brasileira de emendar feriados?

Cristiane - “Ahh gente… é bom pra gente que é trabalhador. Eles dizem que é prejuízo pro comércio. Mas pros trabalhadores é bom”.

Alonso -
“Bom né. Pra mim pelo menos é bem interessante, daí mais pessoas passam aqui em frente e compram minhas coisas. Eu mesmo não faço feriado, aproveito esses dias pra vender mais”.
Alexandro – “Eu acho isso um absurdo porque emenda muitos feriados. O Brasil é um dos países onde há mais feriados, acho que tem muito feriado aí que tem precisava ter”.

Rosa -
“Ahh eu não tenho nada contra não, dá pra ficar mais com a família, curtir mais”.

Rogério – “Desde que não seja comercial eu concordo né, porque isso traz prejuízos pro comércio”.

Lucimar, proprietária de uma loja de souvenires - “Atrapalha muito porque sempre tem um dia perdido”.

Inconfidência Ribeirão – [Aos patrões] Os encargos trabalhistas são um empecilho para a contratação?

Catarina, proprietária de uma ótica – “Claro. Eu poderia ter um funcionário a mais não fossem os encargos”.

Lucimar – “Em termos sim, porque os encargos trabalhistas são muito caros. Eu contrataria mais um funcionário não fosse isso”.

Valéria, comerciante do Centro, emprega  cinco funcionários - “Muito empecilho! Eu poderia contratar o dobro de funcionários se não fosse os encargos tão caros cobrados pelo governo”.

Rafaela – “Não. Esses encargos são justos, o correto seria o governo baixar o custo em outras áreas”.

Inconfidência Ribeirão – Você prefere receber suas férias em dinheiro ou em tempo de descanso?

Alexandro – “Eu acho que as férias são pra qualquer ser humano, você precisa dar uma pausa pra relaxar, refletir…”

Catarina - “…em férias mesmo, tempo de descanso”.

Cristiane –
“Ah eu prefiro ficar em casa”.

Rogério –
“meio a meio”.

Rosa -
“Eu preferiria em dinheiro, porque eu acho que ficar em casa não é lucro nenhum. Eu estar trabalhando eu acho que é mais lucro. Eu penso assim. Vou ficar em casa pra quê? Pra passar raiva? Pelo menos aqui eu to me divertindo.(risos)”.

Inconfidência Ribeirão – Qual seria a maneira ideal para que você pudesse contratar mais funcionários?

Catarina (Proprietária de ótica) - “Tirar os encargos sociais dos empresários”.

Inconfidência Ribeirão – Há empecilhos para demitir os funcionários?

Catarina - “Ahh, há muitos”

Valéria - “Sim, pra demitir é pior do que pra contratar! Muito mais caro”.

Rafaela - “Não, isso é bem tranquilo”.

Inconfidência Ribeirão – Quais?

Catarina - “As Leis né, as leis trabalhistas!”.