out 122010
 

O que um monge diria a Edgar Allan Poe a respeito de um sonho dentro de um sonho? Reflitão (sic), ok? (João Simonetti, joao.caat@hotmail.com)

.

Um Monge Dentro de Um Sonho

Toma essa resposta em tua têmpora

Pois a partir daqui, agora

Este Monge contará em plena hora

O que a Allan Poe ele diria

Sobre o sonho e a bela poesia

Apesar do fato de que um dia foi-te

Em uma tempestuosa noite

A leitura de tua obra não convém?

Especialmente aquele poema tristonho

Sobre um sonho dentro de um sonho.

.

As ondas literárias perdem freio

Em uma gótica toada

E eu vejo uma geração

Toda uma molecada –

São tantos! E como se vão

De roupa preta encalorada

Enquanto choram, enquanto choram!

Ó Deus! Eles imploram,

Não seria nossa música maneira?

Ó Deus! Podemos escutar

Um som que não seja choradeira?

O movimento emo tem raízes, eu suponho

No poema Um Sonho Dentro De Um Sonho?

.

Ok, parei. Esta foi uma singela homenagem a Edgar Allan Poe e à molecada emo (se é que eles ainda existem), baseada numa tradução do poema A Dream Within A Dream, de Poe, feita for Leonardo Dias – clique aqui para conferir. O poema original em inglês pode ser lido aqui.

Espero que os leitores e meu amigo João – que não vejo há anos – tenham gostado e entendido a brincadeira. Se não, por favor não venham atrás do Monge empunhando as tochas da inquisição literária. Prometo que tentarei não cometer mais esse tipo de sacrilégio. Nunca mais.

 Leave a Reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

(requerido)

(requerido)