mar 202010
 

A Cidade

Marido de paciente apanha de médicos em unidade de saúde

Gazeta Ribeirão

Promotor denuncia alunos de medicina

CI (2 em 1) – Médicos, nunca deveriam ser.

Folha de São Paulo

Serra assume candidatura com elogio ao governo Lula

O Estado de São Paulo

Avanço de Dilma não assusta, diz Serra

O Globo

Pré-sal: após Serra, Dilma reconhece direitos do Rio

CI (3 em 1) -  Hipocrisias…

Jornal do Brasil

Brincar também dá lucro

CI – Fábula (Os Pontos).

Estado de Minas

Tão rica, tão pobre

CI – Natureza humana.

Correio Braziliense

Câmara tem até 28 dias para eleger governador

CI – Tempo demais.

Zero Hora

Fim de contrato deixa rodovias gaúchas sem pardais na Páscoa

CI – Incompetência administrativa.

Valor Econômico

Sem edição aos sábados e domingos.

CI – Comentário Inconfidente

Classe Média – Max Gonzaga

 Posted by at 11:05 am  Sem categoria
mar 202010
 

Classe Média

Max Gonzaga

Sou classe média
Papagaio de todo telejornal
Eu acredito
Na imparcialidade da revista semanal
Sou classe média
Compro roupa e gasolina no cartão
Odeio “coletivos”
E vou de carro que comprei à prestação
Só pago impostos
Estou sempre no limite do meu cheque-especial
Eu viajo pouco, no máximo um pacote cvc tri-anual
Mais eu “tô nem aí”
Se o traficante é quem manda na favela
Eu não “tô nem aqui”
Se morre gente ou tem enchente em Itaquera
Eu quero é que se exploda a periferia toda
Mas fico indignado com o Estado quando sou incomodado
Pelo pedinte esfomeado que me estende a mão
O pára-brisa ensaboado
É camelô, biju com bala
E as peripécias do artista malabarista do farol
Mas se o assalto é em Moema
O assassinato é no Jardins
A filha do executivo é estuprada até o fim
Aí a mídia manifesta a sua opinião regressa
De implantar pena de morte, ou reduzir a idade penal
E eu que sou bem informado concordo e faço passeata
Enquanto aumenta a audiência e a tiragem do jornal
Porque eu não “tô nem aí”
Se o traficante é quem manda na favela
Eu não “tô nem aqui”
Se morre gente ou tem enchente em Itaquera
Eu quero é que se exploda a periferia toda
Toda tragédia só me importa quando bate em minha porta
Porque é mais fácil condenar quem já cumpre pena de vida